Alexandre Schulter

março 3, 2013

O intricado problema do respeito

Filed under: Secularismo — Tags:, — alxnd @ 2:54 pm

Por SoggyMog
Tradução por Alexandre Schulter

Originalmente publicado em Musings of an intrigued nobody

Estive pensando muito ultimamente sobre a questão do respeito que rodeia crenças religiosas. Fiquei um pouco horrificado no Natal quando fiquei sabendo que seis membros da minha família – meus pais, ambos meus irmãos, uma tia e um tio – todos consideram que eu demonstro desrespeito bruto com pessoas religiosas quando digo que suas superstições são besteiras. Um comentário particularmente chocante veio de um de meus irmãos:

Irmão: “Você não pode respeitar pessoas se você não respeitar suas crenças.”
Pai: “Ele está certo, Lu.”

Para deixar claro, meus pais e meu irmão também não são crentes. Estou menos certo sobre meus tios, mas se eles tem crenças religiosas de qualquer tipo nunca vi um indicativo disso.

Esta questão de respeito é uma que aparece persistentemente e eu considero as atitudes de outros não-crentes absolutamente desconcertante – muito mais incompreensível que a raiva que eu as vezes recebo de crentes. Como eu vejo, existem dois problemas com esta idéia de que não-crentes deveriam simplesmente calar a boca e deixar que as pessoas acreditem no que elas quiserem.

1: Tipicamente não são os não-crentes fazendo esse caso quem sofrem pelo lugar privilegiado que a religião tem no mundo. Meu irmão não está em perigo de perder a vida enquanto escolhe viver uma vida do jeito que vive; outras pessoas – particularmente mulheres, gays e ateístas infelizes o suficiente para viver em nações dominadas pela religião – que enfrentam perigos reais e sofrem abusos reais vindos diretamente da religião.

2: É profundamente condescendente para pessoas religiosas adotar uma visão de que enquanto sabemos mais, a massa supersticiosa precisa do conforto da religião. Eu acho um pouco nauseante me dizerem que eu deveria evitar desafiar um adulto mentalmente competente sobre suas crenças, como se para eles faltasse a inteligência para pensar logicamente ou a resistência ao impacto emocional de um argumento racional. E aparentemente só é o caso com crenças religiosas; ninguém exige que eu evite questionar ideologias políticas, opiniões filosóficas, decisões éticas (a não ser motivadas por religião!) ou qualquer outra coisa. Eu acho que seria desrespeitoso – sem mencionar potencialmente perigoso – não dar a minha opinião honesta sobre as crenças de uma pessoa. Eu iria tão longe quanto dizer que enquanto fingem respeitar as crenças religiosas de alguém, não-crentes demonstram um desrespeito de tirar o fôlego quanto ao intelecto das pessoas que creem.

Essa noção de que mesmo aqueles que não tem crenças religiosas deveriam de qualquer maneira respeitá-las é a coisa singular mais perigosa sobre religião. Isso faz com que pessoas liberais bem-intencionadas vivendo em segurança em nações seculares concedam importância maior às sensibilidades feridas de um homem Muçulmano do que a opressão, o abuso rotineiro, mutilação e assassinato de milhões de mulheres sob a mãos de sua fé. Isso coloca a crenças infundadas do lobby “pró-vida” motivado pela religião (mais precisamente, anti-escolha) por cima da vida de Savita Halapannavar, que morreu na Irlanda depois de ter negada um aborto medicinalmente necessário porque uma religião a qual ela não se inscreveu proibia. Isso diz que um pai religioso que seu desejo de enviar seu filho à uma escola religiosa é mais importante que o direito que a criança tem de ter uma educação decente e não sofrer trauma psicológico na forma de ameaças horrorosas e culpa desnecessária por “pecados” imaginários.

Se você argumenta que pessoas como eu mostrem “respeito” para com pessoas religiosas evitando a crítica de suas crenças, você não está apenas patrocinando e desmerecendo pessoas religiosas… você também está dizendo que o desejo de uma pessoa não ter seus sentimentos feridos tem precedência em cima dos direitos de inúmeros outros de viverem suas vidas livres da ameaça ou da realidade de violência, abuso, opressão e miséria. Isso é um princípio tão anti-liberal o quanto eu consigo imaginar.

Minha família e outros vivendo livres das regras do dogma religioso estão em uma posição tremendamente privilegiada, inimaginável para milhões de outras no mundo que não podem falar contra as violações que seus direitos. Não apenas eu não tenho todo o direito de desafiar crenças e práticas religiosas – eu acho que tenho o dever.

março 7, 2012

Uma resposta a Reinaldo Azevedo e sua tese do ciclista-fascista

Filed under: Ciclismo — alxnd @ 1:56 pm

Abaixo tentei resumir e rebater os argumentos de Reinaldo Azevedo e sua tese do ciclista fascista. Na minha opinião um texto bem pobre quando colocado debaixo de uma legenda que diz que o blog lida com “análises políticas.”

Argumento Reinaldo – Nem ciclista nem ninguém pode fechar avenidas.

É ilegal, sim, assim como protestos contra ditadura num regime ditatorial. São inúmeros os exemplos de protestos ilegais na história. E é bem difícil dizer que esse protesto é indesejado. Motoristas deveriam incentivar esse tipo de protesto. Quanto mais ciclistas na rua, obviamente há mais espaço pra carros.

Argumento Reinaldo – Protestantes são como o talibã, os fascistas e os nazistas.

Não, esses fenômenos citados não eram baseados em protestos, abaixo-assinados, argumentações, entrevistas e debates. Também nunca vi ciclista armado.

Argumento Reinaldo – Ao motorista parado no trânsito está sendo negado o direito de ir e vir.

A Constituição assegura direito de ir de vir, e, também, direito a manifestações em locais públicos. Quem pondera e decide sobre essa lei conflitante não é o Reinaldo. Só fica a dica para o Policial e o Juiz que tiver que lidar com a situação: uma manifestação desse tipo está lutando *a favor* do direito de ir e vir, e não contra.

Argumento Reinaldo – Um protesto perto de hospital está bloqueando o acesso ao hospital.

E ambulância tem sirene pra quê?

Argumento Reinaldo – Protestos querem resolver problemas da noite para o dia.

Óbvio que essa não é a intenção, nem sequer uma esperança. É só um começo, veja como foi na Holanda em 1970.

Argumento Reinaldo – Outras formas de protesto devem ser procuradas, como nas redes sociais.

Não é tão eficiente quanto um protesto de verdade. A natureza humana é assim, só há mudança quando há incômodo. Redes sociais são só um acessório e quanto mais demorarmos para resolver o problema, menos “horas de sono e de convivência com suas respectivas famílias” vais ter. Entendeu? O problema é mútuo, é um problema nosso.

Argumento Reinaldo – Parar a Avenida Paulista é um incômodo grande demais.

Se a intenção do protesto é melhorar a vida de todos, e essa melhoria é tão absurdamente clara, esse argumento é fraco.

Argumento Reinaldo – São Paulo é incompatível com bicicleta.

Como você pode ter certeza disso se nem foi tentado ainda?

outubro 13, 2011

A aventura tem que continuar

Filed under: nepal-india 2011 — Tags:, , , , , , — alxnd @ 11:58 pm

Estou aqui expremendo meus últimos centavos na contabilidade pra ver se troco de imóvel. Mas esse último centavo não ultrapassa o limiar da reserva pra próxima maluquice da minha vida: Nepal e Índia.

Em resumo a aventura será:

Desembarcar, depois mais de 40 horas entre aeroportos como Guarulhos e Doha no Catar, na cidade de Catmandu, aos pés dos Himalaias, no Nepal. De lá, dois dias depois, pego um teco-teco rumo a uma das pistas de avião mais perigosas do mundo, Lukla. A partir de Lukla serão 10 dias de caminhada estrenuosa por meio de vilarejos e seus templos hindus e budistas até o acampamento base do Monte Everest, lugar a partir do qual saem os escaladores que fazem a tentativa de subir ao cume, 8848m acima do nível onde estou agora, em Floripa. Felizmente eu não passarei de 5643, altura a qual já estive antes e foi uma experiência dolorosa, mas a qual não cometerei o mesmo erro novamente, a falta de aclimatação. Esse caminho, esse “trekking route”, está entre os clássicos do mundo.

Do acampamento base do Everest devolta a Lukla são só 3 dias de downhill e mais uma aventura na aterrorizante pista de pouso e decolagem. Novamente em Catmandu, pretendo me enfiar em uma expedição de rafting de vários dias. Expedições de até 10 dias são bem comuns, mas como não haverá tempo terei de me satisfazer com 3, terminando no sul do Nepal, no parque nacional de Chitwan, onde poderei fazer um safari montado em elefante. Há de ser uma experiência curiosa.

Devolta Catmandu pela terceira vez, pego um vôo e cruzo para a India, local o qual ainda estou apreensivo de ir, mas que se for igual a Bolivia, para onde também estava apreensivo, acabará sendo divertido. Pouso na mega-cidade de Nova Déli, fico 1 dia ou menos ali e começo a travessia de trem. Ficar muito parado num lugar só não dá, e já que vai se movimentar, por que não atravessar o negócio todo de uma vez? Quer dizer, ao menos metade da India acho que vai dar.

Entre os lugares da India que pretendo ver são Agra, para entrar no Taj Mahal, Jaipur e Jaisalmer, no Rajastão, do lado do Deserto de Thar e a fronteira com o Paquistão, onde farei um safari de camelo. Depois pretendo ir a Bollywood, a Hollywood indiana em Mumbai, outra mega-cidade. Entre tudo isso são infindáveis trechos de ferrovia que posso fazer durante a noite, enquanto durmo. É muito esperto esse esquema.

De Mumbai volto pra Floripa, talvez um pouco diferente de quando fui.

Pista de pouso em Lukla

Namche Bazaar, o maior dos vilarejos no caminho

Templos no caminho

Um grupo grande, eu estarei SOLO!

Um dos banheiros no caminho

Ultimos quilometros até o acampamento base

O acampamento

O acampamento

Rafting de 3 dias no Rio Trisuli

Acampamento do lado do rio

Passeio de elefante no parque Chitwan

Taj Mahal

Meus futuros colegas indianos, todos tem bigode hahahahaha

Jaisalmer

Deserto Thar

Metro Cinema Mumbai

maio 19, 2011

Relato Patagonia Torres del Paine Circuito Completo Fevereiro 2011

Filed under: patagonia 2011 — Tags:, , , , , — alxnd @ 12:10 am

Fui à Patagônia em 2009 e visitei todos os principais pontos em 30 dias. Na época lembro que prometi retornar para fazer com mais calma os melhores pontos da viagem anterior, como por exemplo fazer o circuito completo no parque Torres del Paine. Em 2009 depois de ter ficado lá sem escutar o barulho de um carro por 5 dias, achei a experiência bastante curiosa e resolvi retornar neste ano, mais especificamente fevereiro de 2011.

Todos os detalhes que alguém precisaria para fazer uma empreitada dessas estão disponíveis em fórums como o Mochileiros.com

Ao invés de detalhes prefiro fazer relato visual dessa experiência que levou 8 dias.


Sobrevoando a Cordilheira na viagem de ida


Onibus pra Puerto Natales


Estrada para o parque

Dia 1 – Laguna Amarga -> Serón


Alexandre e Tiago, os dois aventureiros



Primeira vista de qualquer coisa ja foi de cair o queixo



Comeca o circuito a partir da Laguna Amarga. Objetivo era fazer em 8 dias.



Flores na trilha para o Seron



O primeiro almoco



Continuando a trilha ate o Seron



Acampamento Seron



Coelho

Dia 2 – Serón -> Dickson



Iniciando o segundo dia ja com as pernas destruidas do dia anterior



Guanacos sao bem comuns nessa trilha



Sol escaldante e paisagem animal!!



As abelhas na Patagonia sao bem grandes, e resistentes a tapas.. hehe



Err...



Avistando o Dickson de longe, segundo dia chegando ao fim!



Coca-cola quente a R$ 5. Sumiu num gole so.



Vinho Gato pra fechar o dia. 1 litro por cabeca!

Dia 3 – Dickson -> Los Perros



Ela nao nos incomodou...



Aparentemente viria a primeira chuva no nosso 3o dia



Deu vontade de comer, mas lembrei do filme Na Natureza Selvagem



Sera que eh Calafate



Atravenssando bosques e mais bosques, pontes e mais pontes



Lavando louca na agua gelada



Uma surpresinha pouco antes de chegar no Los Perros



Los Perros



Flores proximas ao Los Perros

Dia 4 – Los Perros -> Los Guardas



Checando o peso que tivemos que carregar pelo Paso John Gardner pra chegar nos Los Guardas



Primeiro trecho de trilha que comeca a ficar dificil



Trecho bem complicadinho



Primeira vista aberta



Outras pessoas nos acompanharam, maioria europeus



Bebedouro eh o que nao falta



mini-canyon



Quase no topo do Paso John Gardner



No topo, missao cumprida





A visao do Grey a partir do Paso eh a melhor



A descida eh pior que a subida, acreditem



Encontramos um maluco fazendo o circuito usando isso



Nossos amigos



Pausa no acampamento Paso para almoco



No mercado em Natales vendem marisco enlatado, muito bom



Mais uma visao impressionante do Grey



Essas escadinhas deram frio na barriga



Flores no caminho



O acampamento Los Guardas

Dia 5 – Los Guardas -> Paine Grande



A ultima pontinha do Grey, adeus!



Mais flores interessantes



Jah no 5o dia, os pes comecaram a apresentar avarias de funcionamento



Nao sei porque as arvores ficaram assim



Barraca armada no Paine Grande, detalhe para pedras necessarias pra segurar o vento forte



Fim de tarde



Lago Pehoe

Dia 6 – Paine Grande -> Vale Francês -> Italiano



Comecamos a trilha ate o Italiano debaixo de chuva



Chegada no Italiano, que por sinal estava fechado, mas deixamos as mochilas ali pra subir ate o Vale Frances



Subida do Vale Frances com muita chuva, nao vimos nada, nos perdemos e nos ferramos. Voltamos para o Italiano e armamos acampemento ali mesmo contra a vontade dos Guarda-parques.



Mesmo no perrengue o cara inda ve coisa bonita

Dia 7 – Italiano -> Chileno



Depois de passar o dia e a noite anteriores debaixo de agua, nada melhor que comecar o dia molhado denovo



Chuva parando e animo voltando



Agora sim com sol aberto conseguimos nos secar completamente e seguir pela trilha de mais de 10 horas ate o Chileno



A trilha que nao acabava mais



Essa flor tinha pra todo lado



Essa tambem



Mais ou menos na metade do caminho ate o Chileno, pouco antes de pegar o atalho pra nao ter que passar pelo Las Torres



Esse foi meu papel de parede por uns tempos



Nao eh todo dia que vejo algo assim!



Ultimos km ate o acampamento, a temperatura abaixa muito nessa subida



A fatidica batata em po



O Refugio Chileno, onde ao contrario de nos, as pessoas dormem no quentinho



Depois de matarmos mais 2L de Vinho Gato, quando vi essa Raposa pensei que fosse um Puma

Dia 8 – Chileno -> Base das Torres -> Laguna Amarga



Iniciando a subida ate a Base das Torres, pra variar chovendo e frio pra kct



Tem umas horas que a trilha some, mas eh mais tranquilo do que parece



A medida que se sobe, a chuva vira neve



Para o meu colega os floquinhos de neve eram novidade



Voila, nada de Torres hoje



Devolta a Laguna Amarga, esperando o latao



Missao cumprida em 8 dias



A recompensa em Natales

Também produzi um vídeo sobre a viagem:

abril 7, 2011

Como fazer sistemas

Filed under: Computação — alxnd @ 11:41 am

Como me ensinaram a fazer software 10 anos atrás
– Use RUP
– Faça um diagrama bonito pra cada pedaço de código
– O mundo é lindo e ideal

Como minha empresa me diz pra fazer
– Use nosso processo de desenvolvimento
– Não use nosso processo de desenvolvimento
– Se vira, meu filho

Como fazemos de fato
Programming, motherfucker!

março 21, 2011

Relato corrida Indaial XCO e XCM

Fui pra Indaial dia 19 de Março representar o MTB Floripa no campeonato catarinense de Mountain Bike. Além de mim tinha uns caras com a camisa que eu nem sei quem são. Claro, não apareço mais nos pedais da galera, treinando “escundido” toda hora, sabe como é…

Sábado – XCO – 14:00: pouca gente, só eu do grupo, sem chuva mas pista bem molhada por causa das chuvas frequentes. Pelo menos não era barro vermelho e não grudava tanto. Pista quase toda pedalável, apesar que alguns pontos valia mais correr. Divertida pra caramba! Pontes, saltos, curvas fechadas, single tracks de 30cm de largura e goiabas caindo na cabeça. Larguei mal e fui aos poucos buscando, terminando em 3o lugar na Master A.

Domingo – XCM – 9:00: nesse dia apareceu uma cabeçada, acho mais de 100 competidores. A maioria não tinha ido no sábado, talvez porque não gostam de trilha. Mas tudo bem, segundo a organização haveria kilometros de trilha nessa maratona! Ah isso sim que é mountain bike de verdade. Foram 70km no total, no trecho de trilha passei umas 20 cabeças, saí no km 50 sozinho tentando alcançar um pelotão mais a frente que valia a pena, já que havia 1 da minha categoria. Consegui chegar, seguir até o final e ganhar no sprint. 4o lugar na Master A.

XCO: segunda ou terceira volta

XCO: Primeira volta, antes de sair da primeira parte de lama, perseguindo Marcos da categoria Master A

XCO: equipe de apoio

XCO: equipe de apoio

XCO: pódio da Master A (30-34 anos)

XCM: pódio da Master A

fevereiro 20, 2011

Mais noticias da Patagonia

Filed under: patagonia 2011 — alxnd @ 2:29 pm

Saimos do Chile quarta-feira passada e nos dirigimos a Calafate, Argentina. No caminho, para manter o padrao, fizemos mais amizades com gente louca pelo caminho, incluindo um Russo borracho (bebado) recem chegado da Antartida trazendo 6 garrafas de cerveja.

Em Calafate, reencontramos nosso amigo brasileiro Luiz e fomos visitar o Glacial Perito Moreno. Bem legal os paredoes de gelo, o passeio de barco e as quedas de grandes blocos de gelo que criavam ondas e balancavam o barco.

Depois do descanso de 1 dia em Calafate, devolta ao trekking em El Chalten. Primeiro dia trilha de 8 horas nublado e muito frio e no segundo dia 11 horas debaixo de um sol infernal até a Laguna de los Tres, onde podemos avistar o Fitz Roy, montanha na qual está o corpo do carioca que morreu há 2 meses atrás tentando subir.

A Laguna de los Tres é muito bonita, parece água de praia caribenha, só que a temperatura nao era muito agradável… sentimos na pele, por uns 30 segundos… hehehehe

Agora estamos aqui em uma Lan House planejando o passeio de hoje, provavelmente de bicicleta. Amanha e depois, dois dias inteiros dentro de um onibus para chegar em Bariloche, o ultimo destino da viagem.

Mais fotos estao no mesmo album do Picasa!

até mais!

fevereiro 16, 2011

Noticias da Patagonia

Filed under: patagonia 2011 — alxnd @ 12:45 pm

Saludos de Chile!

Eu e o Tiago acabamos de voltar de Torres del Paine – Chile, conseguimos completar o circuito de 8 dias. Infelizmente o Rodrigo Benincá nao pode vir por motivos de saúde. Benincá, voce fez falta!

Primeiros 5 dias foram só sol e tempo bom no geral, depois muita chuva, tempestade a noite e até neve pegamos. Estamos agora esperando o onibus para Argentina para os próximos destinos: Calafate, El Chalten, El Bolson e Bariloche.

Coloquei algumas fotos no meu Picasa Web, disponível no seguinte link

até mais!!

outubro 5, 2010

ANED divulga vencedores do I Concurso de Fotografias

Filed under: Uncategorized — alxnd @ 11:30 am

Ganhamos!

Nós parceiros da Viagem EUA 2010 submetemos 3 fotos para um concurso de fotografias promovido pela associação nacional dos empregados da empresa onde trabalhamos e saiu o resultado.

Demorou, mas finalmente podem ser conhecidos os vencedores do I Concurso de Fotografias da Aned. Dividido em duas categorias (fotografias em cores e fotografias em preto e branco), o Concurso tem data de premiação marcada para dia 7/10, às 15h, no Rio de Janeiro, no prédio da Dataprev da Álvaro Rodrigues. (…)

O I Concurso de Fotografias da Aned é uma iniciativa de caráter cultural da atual gestão, cujo mandato se encerra no final do ano, e contou com patrocínio/apoio do Sindpd-RJ, gestão 2007/2010, e da Atetiprev.

(…) fato que é reconhecível o esforço de todos que se interessaram em honrar, com o seu trabalho fotográfico, esta iniciativa. As fotos vencedoras ficarão disponíveis no site da Aned, e a diretoria estuda ainda outras formas de exposição.

Resultado

Categoria FOTOGRAFIA EM CORES

    1o. Lugar: “Final de Tarde”
    Alexandre Schulter – URSC
    2o. Lugar: “Néctar dos Deuses”
    Cláudio Villar Barbosa – URRJ
    3o. Lugar: “Previdência também é aventura”
    Alexandre Schulter – URSC

Categoria FOTOGRAFIA EM PRETO E BRANCO

    1o. Lugar: “A Casa do Penhasco – O Refúgio”
    Ronei Bertolino Amandio – URSC
    2o. Lugar: “Nostalgia”
    Lucia Helena Gomes (Lulu) – URSC
    3o. Lugar: “Imponente”
    Ronei Bertolino Amandio – URSC

Final de Tarde, 1a colocada na categoria CORES

Previdência também é aventura, 3a colocada na categoria CORES

outubro 1, 2010

Volta de SC em Mountain Bike

Filed under: Ciclismo — alxnd @ 6:48 pm

A dupla que mais promete na XII Volta a Santa Catarina em Mountain Bike, dias 9-12 Outubro

voltaSC

- Alexandre Schulter, atleta recentemente sofreu uma mordida de cachorro e passa por tratamento contra raiva, o que impede o exercício físico pelo período de 28 dias, assim como o consumo de álcool. Em declaração dada à CNN, prometeu que não irá se esforçar e absterá do consumo de cerveja da região de Blumenau durante todo o mês de outubro (fala sério!)

- Alexandre Florentino da Silva, atleta recentemente negou renovação de contrato com a Radio Shack Team nos EUA e resolveu participar da Volta SC declarando que “o desafio é muito maior”.

Older Posts »

O tema Shocking Blue Green. Blog no WordPress.com.

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.